quinta-feira, 18 abril , 2024
28 C
Recife

Avaliação | Peugeot 2008 1.8 THP Flex é ágil, anda fácil e mostra muita disposição nas acelerações e retomadas

A mesma motorização que equipa o Novo 408, a premiada motorização 1.8 THP Flex, faz a diferença muito positivamente no desempenho do SUV da Peugeot, o 2008.

- Publicidade -

Outra notícia boa para quem tem interesse no modelo é sua classificação como o melhor SUV no índice de reparabilidade, indicado pelo CESVI Brasil, Centro de Experimentação e Segurança Viária, como o SUV compacto de menor tempo e o mais baixo custo de reparo entre os modelos da mesma categoria comercializados no país, de acordo com testes realizados pela entidade de pesquisa dedicada ao estudo da reparação automotiva.

Os dados integram o índice CAR Group, que classifica veículos de uma mesma categoria a partir da realização de testes de impacto dianteiro e traseiro. O PEUGEOT 2008, com nota 28, ficou 14 pontos à frente do segundo colocado.

- Publicidade -

De acordo com o CESVI Brasil, a tendência é que os veículos com melhor classificação no ranking também tenham valores de seguro mais vantajosos, já que o custo do reparo é utilizado como base para a tarifação de preços pelas seguradoras.

Esse resultado reforça a ótima relação de custo x benefício que acompanha o crossover da Peugeot.

Além do estilo inconfundível, ampla lista de equipamentos de série, dirigibilidade de alto nível e generosidade tecnológica, o modelo se beneficia de um pacote de serviços de pós-venda extremamente competitivo.

- Publicidade -

Entre os benefícios do PEUGEOT 2008 encontram-se:

  • Três anos de garantia total;
  • Três anos de PEUGEOT Assistance: serviço de assistência exclusivo da Marca, disponível gratuitamente em todo o país 24 horas por dia;
  • Pacotes de peças e serviços com preços fixados e mão de obra inclusa: o cliente irá pagar exatamente o mesmo valor pelo serviço em qualquer concessionária do país;
  • Revisões com preços fixos: os modelos equipados com motor 1.6 16V Flex apresentam o custo de R$ 372 para a revisão dos 10 mil km, R$ 600 para os 20 mil km, R$ 372 para os 30 mil, R$ 916 para os 40 mil, R$ 616 para os 50 mil e R$ 600 para a revisão de 60 mil km.
  • Já a manutenção da versão equipada com o motor THP Flex fica em R$ 426 para a revisão dos 10 mil km, R$ 704 para os 20 mil km, R$ 426 para os 30 mil, R$ 992 para os 40 mil, R$ 426 para os 50 mil e R$ 704 para a revisão de 60 mil km.

Produzido no moderno Centro de Produção de Porto Real, no Rio de Janeiro, o 2008 é o segundo modelo da marca a ser fabricado lá, junto com o novo 208.

O 2008 é um modelo global que contou em seu desenvolvimento com a parceria de equipes do Brasil, China e França. O design exterior mantém o estilo já conquistado pela Peugeot, que une sofisticação com esportividade.

Na dianteira os faróis têm contornos que projetam a pupila de um felino, num conjunto que expressa a tecnologia do modelo ao realçar as luzes diurnas em LED.

A vasta superfície envidraçada do 2008, que inclui o teto panorâmico inédito no segmento como item de série desde a versão de entrada, garante um interior agradável e com muita luminosidade.

Traz dinamismo no visual traseiro uma ondulação no teto inspirada no RCZ.

A tampa do porta-malas é marcada nas duas pontas pelas lanternas em formato de bumerangue que, em seu interior, possuem três garras iluminadas por LEDS.

O 2008 é próprio em seu estilo. Sofisticado sim, mas não carregado. Junto com o Honda HR-V, poderíamos considerar a dupla mais bonita do segmento, por traços que refinam o design dos modelos.

O desenvolvimento do 2008 considera o motorista como ponto de partida na sua concepção, e por isso mesmo, a Peugeot afirma que seu modelo busca aliar ergonomia ideal e funcionalidades.

A Peugeot denomina de i-Cockpit a concepção que foca no volante de pequena dimensão, no painel de instrumentos elevado e na central multimídia.

O volante multifunções revestido em couro tem tamanho reduzido, como acontece no 208 e conta com regulagem de altura e profundidade e oferece muita precisão da direção com assistência elétrica. Seu tamanho reduzido garante a sensação de controle pleno em qualquer situação.

Já o painel de instrumentos elevado dá ao motorista as informações necessárias sem que ele precise tirar os olhos da estrada, garantindo maior segurança. O condutor também conta com banco regulável em altura, profundidade e inclinação. Essa solução adotada é boa e realmente facilita a consulta das informações sem perder a atenção na estrada.

A central multimídia, também item de série em todas as versões, traz tela colorida sensível ao toque de sete polegadas para comando de todas as funções de conectividade: navegação por GPS com mapa em perspectiva 3D, controle do rádio e da conexão Bluetooth para celular e para streaming de áudio, leitura de arquivos de música via conexão USB ou visualização de fotografias. Pode-se também acionar os dispositivos conectados à entrada auxiliar e configurar inúmeros recursos do veículo.

A alavanca do freio de mão do tipo aviação é revestida em couro nas versões superiores, a iluminação dos equipamentos e mostradores é na cor branca, tem detalhes cromados ao redor das saídas do ar-condicionado Bi-Zone, nas portas e na moldura da central multimídia, que também conta com acabamento em black piano.

O espaço interno principalmente para o motorista poderia ser maior. A solução que a Peugeot colocou nas laterais das portas poderiam ser menores. Os puxadores internos das portas são grandes, deslocando a posição do motorista. Com 1,75 de altura, achei que o espaço para as pernas ficou comprometido, mas nada que chegue a interferir na dirigibilidade do modelo.

[box type=”success” align=”aligncenter” ]Agora vem a melhor parte do Peugeot 2008. Sua versão topo de gama e a motorização THP Flex, um diferencial que coloca o 2008 na condição de primeiro veículo da categoria equipado com um propulsor bicombustível de injeção direta com turbocompressor.[/box]

O resultado é uma potência máxima de 173 cavalos a 6.000 rpm com etanol, e torque máximo de 24,5 kgfm já disponível aos 1.400 rpm. Ou seja, garante sensação diferenciada de verdade pra quem assume o volante, com retomadas ágeis e potentes, principalmente pelo fato de 16 kgfm já estarem disponíveis logo a 1.000 rpm. Para acompanhar o motor turbo flex, uma caixa manual de seis velocidades.

Aqui você junta o volante de tamanho reduzido, painel de instrumentos elevado e motorização eficiente. Show!

[box type=”success” align=”aligncenter” ]O 2008 é ágil, anda fácil e mostra muita disposição nas acelerações e retomadas. Literalmente o motorista vai se sentir completamente no comando.[/box]

Ponto de destaque do 2008 juntamente com o motor THP Flex é o sistema Grip Control, que melhora a tração do veículo em condições de baixa aderência. A qualquer momento o motorista pode escolher entre cinco modos de utilização disponíveis no seletor posicionado no console central.

O Grip Control adapta o crossover ao terreno agindo sobre as rodas dianteiras no modo mais adequado na configuração Normal, Neve, Barro, Areia e ESP Off, na qual a tração é administrada com total autonomia.

A tecnologia do 2008 é também demonstrada nos recursos de segurança que o veículo oferece. Regulador e limitador de velocidade, seis airbags e cintos com três pontos de fixação e apoios de cabeça para todos os ocupantes são equipamentos de série.

Junto com o Grip Control, o programa de estabilidade eletrônica integra outros recursos, como sistema de freio ABS, repartidor eletrônico de frenagem, assistência a frenagem de urgência, anti-derrapagem de rodas, controle dinâmico de estabilidade e função Hill Assist, que mantém o veículo freado por cinco segundos mesmo que o motorista não esteja pisando no pedal de freio para que ele saia com segurança em subidas.

O 2008 chega ao mercado brasileiro em três versões de acabamento: Allure e Griffe, ambas equipadas com o motor 1.6 16V Flex e com transmissões manual e automática, e Griffe THP, que utiliza a caixa manual de seis velocidades.

Custo e benefícios – O 2008 chega em em três versões de acabamento: Allure e Griffe, ambas equipadas com o motor 1.6 l 16V Flex e transmissões manual de cinco marchas e automática de quatro velocidades, e a topo de gama Griffe THP, sempre com câmbio manual de seis velocidades.

Peugeot 2008 Griffe THP Flex – Itens: manopla de câmbio em cromo acetinado com laterais preto brilhante, console central com fundo preto brilhante, pedaleiras e repouso do pé em alumínio, soleira de entrada das portas em inox, ESP, Hill Assist, Grip Control, seis airbags, para-choque com detalhes cromados e retrovisores externos com capa cromada.

Matérias relacionadas

Monte seu Fiat Pulse

Mais recentes

Menos combustível, mais Volvo!

Destaques Mecânica Online

SIMPÓSIO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA, EMISSÕES E COMBUSTÍVEIS

Avaliação MecOn

TRW - Qualidade de topo para máxima segurança