sábado, 2 março , 2024
28 C
Recife

Daimler Truck produz frota de caminhões Mercedes-Benz GenH2 para testes em clientes

Empresas Amazon, Air Products, INEOS, Holcim e Wiedmann & Winz participarão dos primeiros testes dos caminhões Mercedes-Benz GenH2, impulsionando a descarbonização do transporte rodoviário de longa distância.

A Daimler Truck avança na descarbonização do transporte por meio de caminhões movidos a hidrogênio, anunciando a produção da primeira frota de caminhões Mercedes-Benz GenH2 para testes com clientes. Amazon, Air Products, INEOS, Holcim e Wiedmann & Winz serão as primeiras empresas a testar os veículos em operações reais, visando a obtenção de experiência no transporte de longa distância livre de emissões de CO₂. Os caminhões GenH2, movidos por célula de combustível, proporcionam uma autonomia comparável aos caminhões convencionais a diesel e serão recarregados em postos públicos de hidrogênio líquido.

A Daimler Truck, em parceria com empresas líderes como Amazon, Air Products, INEOS, Holcim e Wiedmann & Winz, está prestes a introduzir sua frota de caminhões Mercedes-Benz GenH2 para testes práticos em operações de transporte de longa distância.

Com um estágio avançado de desenvolvimento, os caminhões movidos por célula de combustível agora passarão por testes reais com clientes, impulsionando a transição para um transporte rodoviário sustentável.

A escolha de hidrogênio líquido como fonte de energia permite maior densidade energética, autonomia significativa e carga útil maior, marcando um avanço revolucionário na descarbonização do setor.

Tecnologia de hidrogênio líquido (sLH2) permite carga útil maior – A Daimler Truck prefere o hidrogênio líquido para o desenvolvimento da tecnologia. Nesse estado agregado, o transportador não só tem uma densidade energética muito mais elevada, mas os custos de transporte também podem ser significativamente reduzidos.

Como resultado, mais hidrogênio pode ser transportado, o que aumenta significativamente a autonomia e possibilita um desempenho comparável ao de veículos como os caminhões convencionais a diesel. Os tanques de hidrogênio líquido também oferecem vantagens em termos de custos e peso. Portanto, o uso de hidrogênio líquido permite uma carga útil maior.

A tecnologia conhecida como “sLH2” (hidrogênio líquido “sub-resfriado”) foi desenvolvida em conjunto com a Linde e está disponível para todas as empresas interessadas via padrão ISO e, pela primeira vez, será utilizada na frota de testes em clientes. A abordagem inovadora permite, entre outros aspectos, uma densidade maior para armazenamento comparada com o LH2 e reabastecimento mais fácil de 10 a 15 minutos.

A Daimler Truck e as empresas parceiras estão planejando alto nível de transparência e abertura com relação às interfaces para a tecnologia sLH2. A meta é colaborar com outras empresas e associações no desenvolvimento de tecnologias de veículos e de reabastecimento próprias, que se apliquem ao novo padrão de hidrogênio líquido, estabelendo assim um mercado global para o processo de reabastecimento.

Desempenho do caminhão GenH2 é comparável aos caminhões convencionais movidos a diesel – Os engenheiros de desenvolvimento da Daimler Truck basearam o caminhão GenH2 nas características do caminhão Actros convencional da Mercedes-Benz em termos de carga útil, autonomia e desempenho.

Os GenH2 que serão utilizados nesses primeiros testes oferecem uma carga útil de cerca de 25 toneladas e um PBTC – peso bruto total combinado de 40 toneladas. Dois tanques especiais de hidrogênio líquido e um sistema de célula de combustível possibilitam essa alta carga útil e autonomia, sendo a peça central do GenH2.

Os dois tanques de aço inoxidável de hidrogênio líquido têm uma capacidade de armazenamento especialmente alta, de 88 kg (44 kg cada um) o que os torna apropriados para cobrir longas distâncias.

O sistema de célula de combustível do Mercedes-Benz GenH2 produz 300 kW e a bateria fornece mais 400 kW temporariamente. A 70 kWh, a capacidade de armazenamento da bateria é relativamente baixa, uma vez que sua função não é atender às necessidades de energia, mas sim dar suporte de força para a célula de combustível durante os picos de carga, enquanto se está acelerando ou quando se está conduzindo por uma ladeira com carga total.

Ao mesmo tempo, a bateria permite uma carga útil maior. Ela é recarregada com a energia de frenagem e com o excedente de energia da célula de combustível. Um elemento-chave é o sistema de arrefecimento e aquecimento que mantém todos os componentes em uma temperatura apropriada, garantindo a durabilidade máxima.

Em setembro de 2023, a Daimler Truck demonstrou, com sucesso, que a tecnologia da célula de combustível a hidrogênio pode ser a solução para descarbonizar os transportes rodoviários de longa distância. Um protótipo do caminhão Mercedes-Benz GenH2 concluiu um percurso de 1.047 km de distância com uma carga de hidrogênio líquido. A empresa visa introduzir a versão de série do GenH2 na segunda metade da década.

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn