5 sinais que antecedem à falha nos freios do veículo

Você é o tipo de motorista que espera o carro parar de funcionar para finalmente planejar uma visita ao mecânico?

Essa prática, além de perigosa, pode provocar o estrago de sistemas inteiros do veículo.

Os freios são um dos sistemas que mais exigem atenção do condutor e, caso estejam mal regulados, a probabilidade de causar sustos e acidentes graves é grande.

Entre os fatores que podem acarretar o desgaste do componente, estão os hábitos de condução, condições de funcionamento, tipo do veículo e a qualidade da peça.

Segundo o coordenador de assistência técnica da TMD Friction, Raulincom Borges da Silva, a escolha por componentes de qualidade pode evitar que os sinais de desgaste apareçam cedo demais.

“Quando a procedência das peças do sistema de freio é duvidosa, o condutor deve redobrar a atenção sempre que perceber ruídos ou desconforto nos pedais, pois, geralmente, estes são os primeiros sintomas que indicam a necessidade de uma revisão e possível substituição dos componentes”, ressalta.

Para auxiliar o condutor que tem dificuldades de identificar os sinais corretos, elencamos cinco casos que requerem atenção dobrada. Confira abaixo:

Trepidação ao frear – Este sinal pode ser decorrente de várias causas – seja do sistema de freio, rolamento ou suspensão. De qualquer forma, não é normal frear e sentir o carro trepidar.

Caso seja decorrente do sistema de freios, o problema pode estar nos discos ou tambores. Eles podem estar desgastados, empenados ou serem de má qualidade e, por isso, a trepidação do carro pode acontecer.

Segundo Raulincom, além de diminuir a performance ao frear, outro perigo da trepidação decorrente por problemas nos freios é o risco de danificar outras peças do veículo, consequentemente aumentando o preço do conserto.

Fluido do freio – O fluido de freio é um composto sintético ou semissintético indispensável para o processo seguro de frenagem do veículo.

Suas principais características são a capacidade boa de não se comprimir e a ruim de absorver água.

Quando o motorista pisa no pedal de freio, por exemplo, o fluido atua na linha hidráulica e aciona as sapatas/pastilhas de freio, executando a frenagem do veículo.

O fluido também funciona como lubrificante e previne a corrosão de peças de todo o sistema.

Nestes casos, Raulincom sugere que a troca seja sempre realizada de acordo com as instruções do fabricante.

Desconforto nos pedais – O desconforto ao acionar o pedal do freio, comumente conhecido como “pedal duro”, pode estar associado a fatores como a qualidade do material de atrito das pastilhas de freio, ou vazamento do diafragma do servo-freio.

No entanto, caso o condutor sinta que a velocidade de frenagem esteja mais lenta do que o normal, ao pisar no pedal, é possível que haja vazamento do fluido de freio.

Outros fatores como ar no circuito hidráulico, folga excessiva entre o pedal e a haste e lonas desreguladas também podem causar problemas.

“É importante substituir as peças do sistema hidráulico que estão com defeito, além de regular as lonas, conforme indicado pelo fabricante do veículo. Corrigir as folgas e fazer a sangria do sistema de freio também são ações importantes”, reforça Raulincom.

Luzes de aviso no painel – Alguns veículos possuem uma luz no painel que acende sempre que a pastilha está desgastada. Se ela acender, é um claro sinal de que está na hora de substitui-las.

Ruídos no freio – É importante ficar atento caso o freio do automóvel comece a fazer barulho.

O problema normalmente acontece quando as pastilhas estão desgastadas e finas, mas também pode ocorrer quando são de má qualidade.

Além de causarem ruídos, elas diminuem a vida útil dos discos, provocando, assim, o desgaste prematuro do conjunto. Nestes casos, Raulincom recomenda a troca dos discos e das e pastilhas.

A TMD Friction, uma subsidiária da Nisshinbo Holdings Inc., é líder global na fabricação de lonas e pastilhas de freio para a indústria automotiva.

Além de pastilhas de freio a disco e lonas de freio a tambor para veículos de passeio e comerciais, o portfólio de produtos da empresa também inclui pastilhas de freio esportivas, bem como materiais de fricção específicos para o segmento.

A TMD Friction abastece o mercado global de peças de reposição por meio das marcas Textar, Mintex, Don, Pagid, Cobreq e Nisshinbo, além de desenvolver e produzir revestimentos de fricção para a indústria sob a marca Cosid.

O TMD Friction Group possui quatro plantas fabris na Alemanha, além de outras unidades na Europa, EUA, Brasil, México, China e Japão.

Atualmente, o grupo emprega 4.500 pessoas em todo o mundo. Para mais informações, acesse www.tmdfriction.com.

- Publicidade - Cursos Mecânica Online®