sábado, 13 julho , 2024
28 C
Recife

V2V, a nova sigla do futuro próximo

V2V significa Vehile-to-Vehicle communication, comunicação veículo a veículo, e faz parte de um programa de pesquisas de três anos em conjunto com a National Highway Traffic Safety Administration, administração nacional de segurança de tráfego rodoviário.

- Publicidade -

É parte do Programa Inteligente de Sistemas de Transporte da agência, que se propõe desenvolver e avaliar sistemas automáticos permanentes de comunicação entre os veículos numa via qualquer.

As montadoras que se aliaram ao consórcio Crash Avoidance Metric Partners, associados métricos para evitar colisões (GM, Ford, DaimlerChrysler, Toyota e Honda) ficam com 20% do custo total do projeto e o governo federal americano com o resto.

A GM já tem mais de uma dúzia de protótipos em testes de campo nos Estados Unidos e na Europa – e de acordo com Patrick Popp, diretor global de eletrônica de carroçaria e segurança, poderá ter este sistema em todos os seus veículos de produção no máximo até 2014.

O V2V é um sistema de ajuda ao motorista que evita que ele seja surpreendido pelo aparecimento ou manobra inesperada de um outro veículo a seu redor.

- Publicidade -

O sistema transmite a localização de seu carro e monitora a posição de centenas de outros igualmente equipados, dentro de um raio de 300 metros, três vezes mais longe do que um radar tradicional, 10 vezes por segundo.

É o mesmo princípio da utilização do sistema de aproximação utilizado na aeronáutica, que por definição deve evitar que uma aeronave possa bater em outra no ar.

Isso, é claro, se algum idiota não o desligar ou andar com ele inoperante, como aconteceu com o jatinho que bateu no Boeing da Gol.

O sistema da V2V da GM usa um transceptor no espectro 5,9 GHz, uma antena específica e um microchip que controla o sistema todo.

Para maior condição de controle do veículo, o V2V está acoplado a um sistema de controle eletrônico de estabilidade e ao excelente sistema de navegação, comunicação e rastreamento OnStar – o primeiro do mundo em produção (Cadillac, 1999) e ainda hoje muito provavelmente o melhor existente.

- Publicidade -

O V2V ‘enxerga’ ao redor de curvas e de veículos maiores (caminhões, ônibus) que estejam a seu redor, comunicando posição, velocidade e direção deles.

Quando você está chegando perto de um outro veículo à sua frente, mas as condições atmosféricas e de iluminação não permite que você o veja a tempo, o sistema lhe avisa do problema.

Se você estiver distraído, cansado ou talvez equipado demais com alguma outra coisa (celular, acompanhante etc), o sistema passa a vibrar forte seu banco e, se assim mesmo você não reagir, entra sozinho nos freios e evita a colisão.

O esquema todo não é para já, e pelo menos inicialmente será apenas para carros muito caros. Os atuais sensores são caríssimos, os radares agem somente em direção diretamente à frente (esqueça o que está à frente da curva) e são ‘burrinhos’, destinados a apenas uma função.

O V2V faz isso tranqüilamente, graças ao OnStar, que conecta o seu veículo aos satélites do GPS. Se por qualquer razão ele perder a conexão, o StabiliTrak permite que o sistema determine a posição dos mais próximos por dedução.

O espectro de 5,9 GHz foi definido pela FCC, comissão federal de comunicações americana, para o protocolo deste projeto de comunicação de curto alcance, com 10 canais reservados para ele. Alguns desses canais poderão ser reservados para trabalhos de diagnóstico, informação e entretenimento.

Fonte: TechTalk

Matérias relacionadas

Clínica de Serviços Chevrolet

Mais recentes

Ofertas Peugeot 208

Destaques Mecânica Online

Com a Volvo rumo ao Zero Acidentes – Itapemirim

Avaliação MecOn

TRW - Qualidade de topo para máxima segurança