terça-feira, 20 fevereiro , 2024
28 C
Recife

Meriva: compacto, inovador e versátilMeriva: compacto, inovador e versátil

- Advertisement -

O Meriva é a mais nova surpresa da marca Chevrolet para o mercado brasileiro. A novidade, um veículo compacto, inovador e versátil, começa a ser vendido neste mês de agosto no Brasil.

O monovolume de cinco lugares foi idealizado para atender a um perfil de consumidores cada vez maior na indústria automobilística mundial, constituído por pessoas bastante exigentes e que buscam, ao mesmo tempo, um veículo que lhes ofereça as vantagens, desempenho e conforto propiciadas por um automóvel, aliadas à um grande espaço interno e flexibilidade de utilização.

Justamente neste aspecto de funcionalidade e praticidade o Meriva oferece um conceito inédito e tem, como um de seus destaques, o revolucionário conjunto de assentos traseiros batizado internacionalmente de “FlexSpace”.

- Advertisement -

A opção desse novo sistema de bancos, em sua configuração completa, proporciona três lugares na traseira, que podem ser convertidos em dois lugares mais espaçosos, com o rebatimento do assento central.

Essa versátil utilização dos bancos traseiros faz com que o Meriva, por uma opção de seu proprietário, se torne um confortável veículo de quatro lugares com espaço para pernas e ombros dos ocupantes equivalente ao de um automóvel sedã médio.

Novo segmento

- Advertisement -

“O Meriva é mais um importante trunfo da Chevrolet no competitivo mercado brasileiro. Vamos inaugurar um novo segmento de mercado e oferecer um veículo versátil e com performance capaz de atrair um público com espírito jovem que quer mais espaço e conforto, sem abrir mão da beleza e esportividade”, destaca o presidente da General Motors do Brasil e do Mercosul, Walter Wieland.

Segundo ele, o Meriva demonstra a criatividade dos designers da GM e a força da marca Chevrolet, ao mesmo tempo em que amplia ainda mais o portifólio da empresa no Brasil com o objetivo de atingir a total satisfação do consumidor.

O Meriva foi desenvolvido em um esforço conjunto dos engenheiros e designers da General Motors no Brasil e da Opel na Alemanha.

Na Europa, o Meriva será produzido na fábrica de Zaragoza (Espanha) a partir de janeiro de 2003.

Aqui no Brasil, já é produzido em série desde o início do último mês de junho, no Complexo Industrial Automotivo de São José dos Campos, na região do Vale do Paraíba (SP), na mesma linha de outros dois modelos, o novo Corsa e o monovolume Zafira.

Oferecido em duas versões, o novo modelo é propulsionado por motores 1.8 de 8 e 16 válvulas, respectivamente com potências de 102 e 122 cavalos, ambos derivados da Família 1.

Nestas duas configurações, a GM prevê um mix inicial de vendas de 80% para o modelo 8 válvulas e de 20% para o modelo 16 válvulas.

Para o vice-presidente da GMB, José Carlos Pinheiro Neto, o Meriva “reforça ainda mais a posição de destaque da marca Chevrolet no país, que oferece aos consumidores brasileiros a linha mais completa e moderna de veículos. Temos a convicção de que este novo modelo será mais um sucesso de vendas no Brasil e no mercado mundial”.

Segundo Pinheiro Neto, a General Motors do Brasil está sempre atenta às evoluções do mercado e as preferências e exigências dos consumidores.

“O Meriva é uma resposta imediata ao desejo cada vez maior dos clientes em substituir os automóveis por monovolumes”, acrescenta ele.

Novo perfil de consumidor

O Meriva, para o diretor geral de Vendas e Marketing da General Motors, Marcos Munhoz, chega para atender a uma tendência cada vez mais marcante do mercado mundial: “Este nosso modelo cria um segmento direcionado a um novo perfil de consumidor, constituído por pessoas solteiras e de espírito jovem, que buscam um veículo para o uso no dia-a-dia e também no lazer”.

O Meriva chega ao mercado brasileiro com a missão de liderar o segmento de monovolumes e terá como concorrentes o Scénic, da Renault, e o Picasso, da Citroën.

A Zafira, também da marca Chevrolet, estará posicionada em um outro subsegmento superior de monovolumes.

“Vamos oferecer aos consumidores, além da Zafira, também uma excelente opção de veículo na base desse segmento. O Meriva terá um preço coerente e competitivo, posicionado abaixo da Zafira e em linha com as características dos veículos compactos”, destaca Munhoz.

Os novos proprietários de monovolumes, segundo pesquisas feitas pela marca Chevrolet, serão geralmente donos de veículos compactos e ainda de “wagons” compactas.

Os pontos mais apreciados por esses consumidores são o espaço interno e a funcionalidade, seguido pela altura do carro em relação ao chão, o “design” exterior e a visibilidade oferecida pelo veículo.

Apesar de ser um monovolume que competirá com Scénic e Picasso, o Meriva também disputará mercado com os automóveis “hatchbacks” e “wagons” compactos.

“Design” arrojado

O Meriva é um veículo que oferece um visual agradável e diferenciado dos monovolumes existentes no mercado, com um estilo voltado principalmente para o público mais jovem.

O diretor de Design da GMB, David Rand, acredita que o novo modelo Chevrolet “possui um design arrojado, que segue a tendência mais moderna da indústria automobilística mundial, ou seja, uma combinação de linhas de superfícies arredondadas com vincos, que resultam num aspecto mais técnico e de alta tecnologia.

David Rand explica que os designers da GMB e da Opel buscaram definir em todas as linhas do veículo, um “design” arrojado mas bastante harmônico entre as partes dianteira e traseira.

“O Meriva é, sem dúvida, um veículo que oferece um visual e um conjunto agradáveis que, com certeza, atenderão plenamente os anseios do consumidor mundial”.

A área envidraçada do Meriva proporciona uma visibilidade muito boa ao motorista e aos seus usuários.

O modelo também utiliza, a exemplo do novo Corsa “hatchback” — lançado em março último —, o conceito das lanternas traseiras superiores, que tem feito sucesso junto aos consumidores.

Outra característica marcante das linhas do Meriva é bastante visível na lateral do veículo, ou seja, um vinco com recorte em ângulo desde o contorno da janela traseira, na coluna “D”, até a parte dianteira, nos pára-lamas.

O Meriva foi idealizado conceitualmente para permitir a criação de uma arquitetura de “design” que propiciasse aos usuários o máximo de espaço interno possível.

A base para esse sucesso e flexibilidade de espaço é uma distância entreeixos do veículo de 2.630 milímetros, quase 2 cm maior que a do Astra.

Já o comprimento exterior, de 4.042 mm, é cerca de 6 cm menor que o do Astra. O entreeixos do Meriva é maior do que o entreeixos de seu principal concorrente, o Scénic.

Inovações tecnológicas

Além do interior espaçoso e do “design” atraente e inovador, o Meriva possui dimensões externas compactas, que facilitam sua movimentação no tráfego cada vez mais pesado das grandes cidades.

Além de ser o monovolume mais flexível do mercado nas configurações dos lugares e na oferta de espaço interno, o Meriva incorpora inúmeros avanços nos aspectos de segurança, tecnologia e qualidade, antes só disponíveis em veículos maiores do segmento.

O chassi, por exemplo, é composto por uma suspensão dianteira que adota tecnologias e benefícios para proporcionar mais estabilidade ao veículo.

A suspensão dianteira é do tipo independente, McPherson, com amortecedores pressurizados, estrutura em aço, haste maciça e limitador hidráulico que evita a descida (queda) brusca da roda em buracos e lombadas.

Uma nova calibração dos amortecedores e molas com carga lateral minimizam os atritos internos nas válvulas e haste dos amortecedores.

O sistema propulsor do veículo é montado sobre o quadro da suspensão dianteira (subframe), que diminui a transmissão de vibrações para a carroceria.

Os braços de controle da suspensão são fixados ao “subframe” por meio de bucha hidráulica na dianteira e bucha vertical na traseira, o que melhora a sensibilidade do sistema de direção.

A direção é hidráulica (assistida) de série nas duas versões. O veículo também possui, como item de série, a válvula proporcional à carga (ajusta a pressão de frenagem traseira de acordo com o peso do veículo), garantindo a menor distância de parada em qualquer condição.

O eixo traseiro do Meriva utiliza o mesmo conceito empregado nos modelos Astra e Zafira. A posição de dirigir, um pouco mais elevada do que o usual, oferece ergonomia superior aos concorrentes, além de ampla visibilidade graças a uma maior área envidraçada.

Os espelhos retrovisores externos também possuem um campo de visão convexo no lado direito, enquanto no lado esquerdo, dois raios convexo e esférico (curvatura menor), que abrem o campo de visão.

Flexibilidade e maior espaço

O banco traseiro possui o encosto dividido 1/3 e 2/3 e escamoteável, o que permite um maior volume para bagagens. O veículo sai de fábrica equipado com dois apoios de cabeça, cintos retráteis de 3 pontos para os passageiros laterais, e cinto sub-abdominal para o passageiro central.

Os cintos de segurança retráteis de três pontos possuem limitador de carga para o motorista e passageiro, que reduz a compressão no peito dos ocupantes em caso de colisão.

O novo sistema de bancos “FlexSpace” (item opcional) oferece intercambialidade entre carga e passageiros.

Com alguns simples movimentos, qualquer um que necessite maior espaço para carga pode mover os assentos traseiros individualmente ou dobrá-los completamente, formando uma superfície plana que permite melhor acomodação de carga.

Em um piscar de olhos, o Chevrolet Meriva pode ser transformado novamente em um prático veículo de cinco lugares, ou ainda quatro lugares, proporcionando um posicionamento diferenciado no interior do veículo, graças à possibilidade de movimentação dos bancos para as laterais e para a traseira, o que aumenta o espaço para as pernas dos ocupantes.

Este sistema foi concebido levando-se em conta o fato de veículos compactos serem geralmente ocupados por uma ou duas pessoas, e raramente por mais de quatro.

Nesse sentido, o conceito “FlexSpace” proporciona o máximo de liberdade em termos de configuração interior.

Para permitir essa flexibilidade os bancos deslocam-se por meio de trilhos e mecanismos reclináveis, os quais permitem todos os movimentos sem que haja a necessidade de remoção dos assentos, ao contrário dos veículos competidores do mercado.

Quando equipado com o “FlexSpace”, o Meriva possui 3 cintos retráteis de 3 pontos inclusive para o passageiro central (este integrado ao teto) e também 3 apoios de cabeça.

Outras vantagens oferecidas pelo veículo são o maior espaço do porta-malas, mais espaço traseiro para dois passageiros e possibilidade de se reclinar o encosto para maior conforto dos passageiros.

Nos bancos traseiros podem ser montadas inúmeras configurações, como por exemplo 5 pessoas, com o espaço normal para bagagem; 4 pessoas com muito espaço para as 2 pessoas de trás; 3 pessoas com muito espaço para a terceira pessoa mais carga; e, 2 pessoas e muita carga.

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn

Lançamentos